Seguidores

2011/01/21

Vil Amor Desbotado

 "Vil Amor Desbotado"




Num momento enquanto olhava
Ela era o Amor que me iluminava
À noite era um sonho...
De dia, eras plena espada!


Amamos-nos durantes anos
Que fizeram em si, migalhas
Caídos da santa ceia de nossas farpas
Quisera o amor e a confusão!


Hoje distantes procuramos
O ser que tantos muitos invejavam
Aquela alma dúbia em um só corpo
Lembrança de uma perene fábula.


Vi-te sentada, homem, café e xícara...
E seu riso sempre embotado
Num piscar o mundo se refez segundos
Vosso mundo triste e pálido.


Queríamos aquele vil amor
Muito lindo e sempre desbotado!
De quem não sonha acordado...




Czar D’alma

2011/01/20

Coisa do Coração

 "Coisa do Coração"

 


Amo de verdade...
Meu coração é que não entende.


Conspira quanto ao fato 
De que tudo é diferente!
Lisonjeia a sirene da outra, sente.
Percebe a suave nota no ar, Pende.


Pra sua situação ter de mudar
Sonha com o futuro,
Criando bem o presente.
O coração é de repente!


Voa, decola e pousa...
Longe da ótica da gente!




Czar D’alma

2011/01/19

Sabe lá!

 "Sabe-se lá!"







Sabe aqueles dias que, não dá pra explicar...
Sentenças na pele, coração que arde só
Há milhares de lugares, onde caibamos
Mas só penso em contigo estar!


Sabe, se o que você faz já não faz sentido
É preciso de mais, amor, amante ou amigo!
Sabe, quando o mar parece te entender
E não se entende como consegue respirar...


Sabe, agente acorda, sonha, trabalha e chora
Outra hora se pensa em poder voar!
Sabe das mentiras que lhe plantaram...
Até hoje não se sabe, que tipo de fruto dá!


Sabe, você sabe que sim...
Quando tudo é tão belo
E nada mesmo precisa de ti pra existir!


São as coisas do ar... 
Às vezes voamos outrora se pode espatifar!
Eu sei, pessoas hão de nos entender... 
Mas agente ta precisando é de amar!


Sabe bússola, mapa, pijama...   
Coisas que apontam
Umas boas, outras “bacanas”! 
E nunca se sabe por que agente ama!
 

Sabe-se lá!




Czar D’alma

2011/01/18

Então é Noite

"Então é Noite!"


Então é noite
Deus acende o céu com estrelas
Poesias pelos poros
Lágrimas em gavetas


Poetas de Saturno
Sofrem eternidades em segundos
O mundo com sua beleza
E o amor tecendo suas nobrezas!


Então é noite
Tudo acende em cada ser
Tiro a caneta do meu peito
Escrevo loucuras pra você!


Tu te iluminas eterna


Os homens amam e andam
Fugazes os sonhos lançam seus cometas
O cinema, o beijo, todo o planeta. 
Todos querem solução!


Então é noite
E que tudo se acenda
Poeta, louco, lobo solitário
Passam-se os anos, sentido inarbitrário.


Fecho a porta e a poesia... 
Poeta nasce e morre só,
todo dia.
Todo dia é noite!



Czar D’alma

2011/01/17

Alma Aberta

"Alma Aberta" 





A alma está aberta, joga o rumo dentro
Confia que na hora agente acerta
Muda o rumo com seus passos
Nos passos do mundo agente se perde.


A alma esta aberta. 
Fecha a camisa, anda de bicicleta
Logra o Amor maldito da miséria. 
Encolhe em si a frase correta...


Ninguém poderá te ouvir. 
O som de seu silêncio analisa, a porta
Corre entre os rios, desata o grito. 
Lembra que do medo vem o gemido...


Quem sequer resiste a alma sedenta e aberta!
Quando a poesia não rima, a frase parece expor, acima...
Que todo mundo mente e quem nunca quis ser feliz.
Esta a um ponto da loucura ou a dois segundos de mentir!


Pois eu deixo tudo longe, sem respostas nem perguntas
Estou à beira da morte e da vida...
Quero viver o amor, nem que seja por um segundo!
Aberta alma só, vagueia pelo mundo, atenta e límpida...


 Louca pra viver a eternidade dos eunucos!   




Czar D'alma.