Seguidores

2011/01/28

Vem me dizer

   "Vem me dizer"




Vem me dizer, porque o mar é azul
Por que a sax é sexy em nosso mundo, blues
Que cada manhã é a esperança, minha herança
Continuação dessa tola amante espécie.


Vem me dizer, por que...
Esta tudo aqui vazio
Que meu coração sente a dor e frio
Do que você deixou em mim...


Depois que se foi
Só ficou em mim, a dor e aquela lembrança
De planos e sonhos...
Que em mim a vida feliz traçou...


A cama dura, meu coração molhado
Meus olhos e lágrimas
Canção e banzo, algo solitário
Coisas que seus sonhos e beijos me deram...


Sim, ainda espero você voltar
Nos braços uma vontade de amar
E a herança do que deixei em ti...
Aquele jeito lindo de junto agente dormir.



Vem me dizer...


Czar D’alma


2011/01/27

Sedução ao Tio Sam

 "Sedução ao Tio Sam"






 

Por um beijo seu...
Largo a poesia da China
Escrevo em braile na Índia
Quebro tratados e dou-lhe o Mickey.


Um beijo seu, desço do mastro o judeu
Aparo o bigode do medo hebreu...
E abandono Texas se me deixares dormir
Berços plenos de Suris... 
Por um beijo de ti!


Acordo em meia-taça e leio o Lênin que passa...
Teço a linha do Equador, 
Por um beijo do meu amor

Chamado Brasil!




Czar D’alma 




2011/01/25

Pecado de Mim

 "Pecado de Mim"



Antes do por do sol
Logo atrás de seu olhar
Me ame, me deixe e me suje.


Na linha de nossas emoções
Do lado, do pecado chamado razão
Eu e minha sedenta volição
O seu nome.


Que me levas a loucuras
Deixas tuas roupas nuas,
Pela via de minhas torturas.


Ah eu ando mesmo ás escuras
A procura de um gesto seu
Que me deixe sem pernas e voz...


Eu ando procurando mazelas
Pra dizer que, seu amor de felicidades...
Não é forte e nem é capaz!




Czar D’alma

2011/01/24

Sem Êxtase

 "Sem Êxtase"





 
Sorrindo em troca de vidas
Amando a própria ferida
Só, com um tiro de perdão
Erguendo a mão pro inimigo e irmão


Atrás de seus sorrisos
Deixando meus sonhos no leito
Acordo com seus delírios
Adormeço sempre com seus beijos


A noite insiste em amar
Doce olha pra lua, imagina
Como o homem pode nessa
Efêmera beleza pisar!


Ah seu domínio é minha tez
Sua satisfação minha vez
Seus sonhos a ternura talvez
Do que eu não vivi


Por ter de fingir amar a ti!
Sozinha!



Czar D’alma

Inspirações Fatais

 "Inspirações Fatais"







Agradeço a Deus
Pelos seus juízos imperfeitos
Por derramar leite em meus seios
Pelos seus medos e anseios
Por não andar de mãos dadas!
Pela fralda em sua mão empoeirada
Pelo dia em que, dormiste com minhas mãos...



Pelas frases ditas e recolhidas
Por comer comigo minha comida
Ser meu homem e minha vida
Ser o que sai no fim da noite ainda...
E que me deixa inspirações fatais



Ah eu ando atrás de seus ancestrais!
Querer beber de seus devaneios a mais
Sendo uma menina ao dia
Moça ao entardecer
E a melhorar a noite u’a vadia!





Czar D’alma


Ao Lado Dela

 "Ao Lado Dela"





 
Amei a donzela como a morte
Doce manhã desta era o rim
Senão devorava-me o baço
Menti achar amor a própria sorte.


Fiz-me dono de mim
Ela nada dizia, pois bem
Jazia meu nome em chafariz
Em fábula minha vida ela diz.


Logo, tolo de amor me dei e fugi
Era morto com seu amor
E nunca vivo ao lado dela.




Czar D’alma