Seguidores

2011/06/11

Por Um Beijo Seu

           "Por um beijo seu"   







Me teu beijo
Me faça feliz,
Me arranque toda a dor
Me entorpeça desse teu amor


Me dá um minuto
Me faz eterno
Eu ando de linho amarelo
Eu quero o silêncio do seu quarto


Eu quero a vida ao lado seu
Eu quero tudo, eu quero o céu
Diante deste mundo eu vejo tudo breu
Quando o mundo pra mim não é teu amor


Me dá um beijo me enlouqueça
Eu sou um cometa em dias de lua
Eu sou o mar em risos delirantes
Pra dormir ao seu quarto minguante


Eu te quero toda
Me despe a roupa
Eu sou o rio em ondas verdes
Me deita à cama, em colchas de colchetes


Mas me dá tua boca
Pra que eu aprenda por ela
A cingir nunca mais a minha toca
Eu quero o mundo do seu amor


Eu quero a ti

Me dá-te pra mim

Assim eu serei feliz

Mas não me minta,

Não me lance em trovas

Seu pescoço dos meus beijos colares

Eu sou o mar dos berços delirantes


Pra beijar teu rio
E secar-te em colo nunca frio
Pela eternidade eu me sinto lindo
Ao olhar-te sorrindo pelo teu êxtase...




Meu hino...






Czar D’alma


2011/06/09

Vem Bem

            "Vem bem"   







Vem bem, me ame
Desce do mundo veja depois
O que corre na veia semeia
Desde ao lado abrace com voz


Vem bem o mundo é azul
Olhando as coisas que compus
Em meio às correntes dos rios
O amor sempre a mais nos seduz


Vem cá, aconteça
Me dê sua mão me perceba
O horizonte de Belo me aconchega
De manhã o Brasil de Fortaleza.


Abrace Sampa, São Sebastião,
O Acre em meio ao Distrito Federal
Senão acordo em Salvador, passo mal
Mas adoro adormecer com Chimarrão


Vem e Vê o Sudeste, apaixonado como Nordeste
Do Sul caminho em meio à cidade agreste
Os dias de mim são Luis Carlos Prestes
Essa Nação me ludibria e estarrece.







Eu sou brasileiro!





Czar D’alma



2011/06/08

Se Eu Mudasse Meu Rumo

            "Se eu mudasse meu rumo"   



           






Se eu mudasse meu rumo
Nada melhor assim seria
Das muitas coisas que vi
E daquelas de que nada aprendi


O seu rosto é do que tenho mais saudade...


A porta e as coisas da casa
Todas esperando, sua volta, liberdade
O amor cabe onde o peito explode
E se acaba de tanto amor, mais ainda saudade.


Do seu rosto solto em liberdade
É o que guardo em mim e nem cabe
Nos outonos sempre frios
Quando você não volta à minha cidade


Beijos, mãos, passos pelas calçadas
Onde o amor era bom
E das noites frias aquecidas
Em seu quente moletom.


Do seu rosto
Nem em dizer eu tenho força
Braço em volta
Beijo em boca



E distância da solidão...






Czar D’alma

2011/06/07

Do Caminho

            "Do Caminho"   



          




É impossível um caminho!
Sim me parece, por estranho demais
Caminhar,
Soltar as amarras dos medos e sem medo
Amar!


Mas entendo que a vida é engraçada
Sem suas implicações e divagações...
Ando só, caminho bem,
E jamais entendi...


Como caminhei a minha vida
Sem você!


Às vezes olho pro lado
Sonho com seu sorriso
Admiro os pássaros e
Escondo um sorriso amigo...


Um sorriso de amor que em mim detenho.
Parece flor a vida que caminho
Mas se esta não colocasse
Em meu caminho o teu caminho e
Se vossos caminhos não se
Entrelaçassem...
Eu poderia duvidar de tudo!


Do amor,
Da sorte,
Da felicidade ou mesmo
Se desta vida haveria uma morte.


Mas hoje eu acredito
Na vida e no caminho...
Por que, estes me deram
E ao lhe ver entrelaçando rumos
Alguns distantes, outros quase não o bastante
Mas hoje eu sei,
Existe o milagre da vida...


Pois te encontrei
No meu caminho.




Czar D’alma 



2011/06/05

Tua Agenda

            "Tua Agenda"    



         







Você sempre faz seus planos, mas nunca me inclui
Eu andei arrazoando minha memória me dilui.
Carro, beijo net e fone, mas descubro que sua agenda
Não cabe nem sequer meu singelo nome


Ando em dias sempre azuis
Minha liberdade dos meus passos
São os pássaros que um dia eu fui
Do meu pobre coração, o seu nome é o compasso.


Faço feiras, vendo sonhos
Acordo com lágrimas e me componho
Mas quando abro a minha agenda
Se não te vejo, fecho os olhos, jazo em algo medonho


Mas de seus amores tenho paz
Sei que o amor que eu um dia dei
Não haverá algum sequer perto jamais
Um dia tu me dirás tudo aquilo que eu sei


Vou pro canto, canto só
Disfarço quieta e olho o mundo
E não entendo como sou uma canção
Que ao seu lado, nunca sai em dó menor.


Pare não me digas das mentiras que eu fui
Me diga das vossas idas, lidas, apreços e quilhas
Em que ilha me deixaste e qual o valor da guerrilha
Se o amor, não te compraz, sua vida é sem luz!


Ando sempre atrás de tua agenda
E um dia eu me ponho lá
Quando em quando tu acordas
E percebas que, ainda nem aprendeu como amar


Se te esqueces e não te vingas
E se dobrares ao menos um segundo
E se olhando me quiseres, não tenhas medo
Vou correndo, digo deixa disso, e tu entras no meu mundo.


Deixas tua agenda nas mãos dos desesperados
Me faça em mim a mulher que ao seu lado fui
Então eu me desabo, desabafo, perco dote e rebolado
Se deixares acordar todos os dias...



Bem quietinha ao seu lado!




 
Czar D’alma