Seguidores

2011/07/02

A Meretriz

            "A Meretriz"   



          



Nos vislumbres das marés
Ecos de seus gemidos tomam-me
Arrastado em doses lânguidas
Enfim depois de seu adeus me pus de pé


Nos vislumbres dos seus olhos
Pelos olhares em outras bocas
Findava o nu em mim da roupa
Tu te foste sem sequer esquecer a outra


Revi o amor e joguei-o no mar
Tomei da dor e me vinguei
Com punhal em ti apunhalei
E no réu dos bancos fiquei


Dito tudo isso me calo...
Um advogado e outro diabo
Estão a me defender, então
Aos meus dentes do sangue lavo


E faço boa cara pro juiz...
Sou agora a amante e mulher
Ou Aquela louca




Meretriz?






Czar D’alma 



Você Nos Pulmões

            "Você nos Pulmões"   



           




Vesti de rosas as fotos suas
Dos bastidores quase nua
Sua semelhança de saudade
O corpo lindo apesar da idade


Teci seu mundo pelas fotografias
As coisas distantes e nunca frias
Meu doce amor agora em dó maior
Em mim nasceu de ti essa magia


Retirei seu álbum de meus desejos
Alguns sonhos, outros medos e gracejos
Eu estava ali, sem noção do seu segredo
Seria eu um ébrio dos seus castelos e enredo


Sabe ainda guardo de ti a fotografia
Lembro bem de dizer seu nome
E sem saber de ti de sua face não esquecia
Era assim toda a manhã quando o medo some


Hoje eu digo dessas recordações
Momentos, dilemas, histórias das nações
Um dia abro a bandeira do amor e lhe ponho lá
Sem esperar da vida o seu medo e as cogitações


Mas agora você esta dormindo
Não imagina minha caneta lhe esculpindo
Pode ser que jamais me ame
Mas eu vou com o vento e o mar


Abraçando seu nome
Em meus 



Pulmões!






Czar D’alma




2011/07/01

Você É

            "Você É"   



           





Você será a coisa eterna em minhas mãos
Da quimera que não foge e não corre em vão

 
Você será a minha estrada sem sofreguidão
A mil milhas paradas e topadas das coisas da vida
Que nunca se rende não


Você será o meu monumento em meu aposento
A beleza rara a história grega jamais lida...
Um instante raro de mito e do afrodisíaco ainda


Você será aquela noite em berço e jeito
Molhados em suor fomos um o que é bastante
Das membranas soltas tu me és o amor em leito e cabana.


Amor! Tu és meu amor, pra mim
Um dia de calor no Rio e o frio em Berlim


Você será um único beijo sem fim
Uma aurora dos rostos imersos São Francisco
Quando eu lhe vejo não acordo e me belisco


Tu és aquela dama que, me afronta sonhos
E me deixas noites inteiras sem dormir...


É o melhor do meu mundo
E a coisa maior em




Mim!




 
Czar D’alma



2011/06/30

O Que Eu Seria

            "O que eu Seria"    



           




Se eu lhe der a flor do campo
Você fica?
Se o dia nascer em lágrimas
Tu me bendigas?


Quando a aurora cantar
E o galo mudo acordar
Dos meus seios sedentos
Sei, tu deles há de se lembrar


Das águas caídas em cascatas
Dos beijos matinais
Abraços fortes, versos leais
Agarro-te louca numa gravata


Então o sol vem
A lua se foi
O mar se acalma, eu sorrio
Canto uma canção só e lenta


Querendo da vida a razão...


Por que tu te foste
Com meu coração em tuas mãos?


Quando eu ainda era uma esperança
E tu a vingança do que meu amor diz – Não!


Eu abro a janela dou bom dia
E penso no que eu sou
Mas jamais quero pensar
No que eu sem ti...




Seria.




Czar D’alma


Da Agua de Um amor

            "Da Agua de um Amor"   



          



Da água veio a vida

Da vida que ganhei pra ti

Vazando entre rios

De tanta correnteza viva

Sou o rio do amor

Que jamais secará

Por devoção

Pelo o que representas




A mim!




Czar D’alma