Seguidores

2011/07/29

Pra eu poder dormir

            "Pra eu poder dormir"   



           

 


Por que me degusta sem sentir
Me devoras em leques
Quase não sei mais dormir
Por que me fazes assim.


Por que me debanda à noite
Cantarolando mentiras em foice
Tu me desvendas e eu me calo
Hoje te desmancho quando me abro


Mas eu preciso do teu amor, pra dormir
Quero o gosto do seu silêncio
Por trocas de teus sussurros
Pra eu nunca mais deixar de sentir


Não te leves pra longe de mim
Porque não me devorastes até o fim
Eu ainda acordo em meio aos teus lençóis
E jamais deixo os meus olhos molhados sós


Pra eu poder 




Dormir






Czar D’alma 





Ela Disse Adeus

            "Ela disse Adeus"      




           



Ela olhou o por do sol e disse adeus
Queria a sombra dos amores
O que ávida vida sem amor não deu
Mas olhou o por do sol e viu seu próprio breu


Ela sonhava cantava e amava poesias
Quando estava triste andava no mar
Queria a felicidade das crianças num só dia
Ouvindo o blues o que o azul, deu-lhe em alegria


Sonhava só, amava bem
Mas quando era feriado se feria também
Seu amor que se foi nada deixou senão um amém
Quer hoje olhar pro sol, dizer adeus e chorar como ninguém


Que seu dia seja luz, que sua prata seja o amor
Pois tua vida que é de ouro, não dá ao outro, por favor,
Acorda e delira aos que te amam e desejam flores
Por causa de má vida a ávida vida em via de outros amores


Ela olhou o por do sol e disse adeus
Andou sobre o mar, dos amores em que viveu
Deixou e guardou lembranças pelo traço e amasso
Hoje ela olhou pro sol e a noite nela ávida lhe acometeu


Mas ela linda com seus olhos azuis
Olhando o mar e querendo amar
Parece até intriga da vida e nem dá pra imaginar
Que a tristeza olhou o por de tua alma e lhe comeu


Quando em quando ela olha pro sol
E ainda insiste em meio ás lágrimas a dizer,




Adeus!






Czar D’alma 



2011/07/27

Verdade Amor

           "Verdade Amor"      



           



Eu vou falar a verdade
Eu amo
Amo com a força que minha pobre alma tem.


Amo desde menino a esperança dos homens
Amo a sentença breve do por do sol, os rios e mares.
Amo a criança que, em mim habita e chora só.


Tem dias que, o meu amor, não quer falar comigo
Brinca com meus desejos,
Revela meus sonhos e me faz deitar só


Quando a noite chega é meu amor que, me consola.


Às vezes, ele olha minhas lágrimas, 
Me abraça e canta cantigas pra eu dormir...
A cada coisa que, relembra a saudade e 
O universo o meu amor, me grita
Me chama e me diz – Olha! 
Quem sabe lá você pode ser mais feliz!


Sorrindo pra mim, meu amor me cativa e 
Dança comigo às noites sombrias.


Vou falar a verdade, meu amor, 
Quase não tem falado comigo...
Ele gosta de me ouvir falar e me deixa 
Falando e falando até o dia raiar.


Ontem falando comigo e tendo meu amor a me escutar chorei

Chorei como a donzela que sabe que, seu amante não volta da guerra.

Chorei como num filme, onde olhando as guerras e perguntamos da paz.


Pra falar toda a verdade eu preciso ficar nu e tirar minha máscara
Mas sempre que faço isso, de mim 
Meu amor foge e finge que vai...


Cada palavra pra meu amor é como um
Tiro no escuro, pois eu a procuro
Em baixo do altar, em cima do muro e 
Atrás das luas e das marés.


Sempre que no encontramos, meu amor
Desconversa meus desejos e pede
Pra eu agüentar e esperar um pouco mais,


Pois ele esta semeando a minha companheira 
Com seus bordões de felicidade
E de mentira.


O amor me iludiu dizendo que, jamais seria, mas aconteceu


Hoje ele esta no olhar da mulher que, não me conhece...
E se me conhece, não sabe qual é o meu nome e do que o amor me fez.


Quando abriu a porta da saudade e 
Mandou embora o vazio e enfim, me mandou entrar.


Hoje eu estou nessa sala aberta da alma e fechada por fora,
Na esperança de meu amor, sorrindo, abrir a porta me abraçar
E dizendo em lágrimas, como foi bom,



Te encontrar!





Czar D’alma.



2011/07/25

Avisa Lá

           "Avisa Lá"      



           




Avisa lá aquela pessoa que a guardo aqui, em mim
Avisa lá, não deixa esta alma sofrer sem saber que estou a amar
Quem sabe ela desce a ladeira e entende o erro da cordilheira
Quem não entende um perdão, tampouco do que cabe na emoção


Avisa lá que eu a amo
Não deixa esta correr só por tantos anos
Eu me dei inteira e o que restou de mim foi amor
É no outono que colho as folhas de tudo que passou


Avisa lá a acorde pra mim
Eu vou ficar com ela dentro e aqui
Esperando a onda passar do que não leva
Essa saudade que me trava e me encerra


Eu sou de cá e avisa lá
Estamos tão distante, mas meus sinais ela sente
O importante que, não há mentira nem nunca ouve
Em nosso amor e tudo que, passou dentro da gente.


Avisa lá que minha dor ela deixou
O mundo nem imagina o gosto daquele beijo e sabor
Eu sei acontece de tanto amor e tanta gente se dividir
Mas quando eu penso no que fomos nunca penso em desistir


Hoje eu durmo só
Mas todo mundo vê
Você na minha mente
Que seja assim, pois se há amor
Pra quê que o mundo mente!


Avisa lá que to com saudade do meu amor
Seja o tempo que passar eu fico aqui e ‘tá bem claro
Não foi o único nem o primeiro...
Mas foi o melhor que meu corpo já provou!


Avisa lá que aqui esta a prova de um 




Amor!






Czar D’alma




 P.s.: Dedico à ti... E aos amores distantes, por diversas vezes.

Muito Obrigado, por existir!

Virude em Lágrimas

            "Virtude em Lágrimas"   



          







Sei das virtudes das lágrimas
Quando elas nascem e caem
Onde brotam da alma
Tais dádivas


Elas não te esquecem
Elas te procuram
Sou a soma do teu medo
Junto ao que lhe dou mesura


Sei do teor de minha solidão
Das coisas inacabadas em minha mão
Quando o sol nasce turvo, minha alma grão
Então eu seco as minhas lágrimas e lanço vôo então


Sei do teor das lágrimas
Quando elas pedem pra você amar
E tu te imaginas às outras bocas mágicas
Nelas és tu quem implora pro amor ficar.


Hoje em canto só, sorrio com as mãos
Mas quando vejo você passar...
Minha alma se abre e diz...
Vem amar a mim e ao meu






Triste coração!







Czar D’alma