Seguidores

2011/08/20

Orgulho Teu

            "Orgulho Teu"      




                    




Se de algum modo meu silêncio falar - Volte
Não deixa a saudade gritar
Quando o amor quer respirar
Nem aos outros deixar o golpe.


Se de meu sorriso lembrar - devolve
Aquilo que não queres cuidar – Solte!
São da esperança do ar respirar
Que o pulmão não dissolve.


Se lhe der saudade do beijo meu
Deita a cabeça na razão do erro teu
Acalenta o peito com o jeito só meu
E encontrarás o caminho que perdeu.


Se te lembrares do gosto do mar
Solta a frase do pulmão cheio de ar
E diz que me ama...
Aquilo que seu orgulho




Jamais lhe deu!






Czar D’alma





2011/08/19

Ela quer Ser Feliz

            "Ela quer ser feliz"      




                




Apagou a luz e foi dormir
Distante de seu amor quis chorar
Mas não se permitiu mesmo assim
Quer beber e dizer que vai ser feliz.


Doa milho aos pombos no almoço
Olha o sol e quer sua vida amena
Alguém pra amar enquanto pensa
E todo seu cotidiano em alvoroço


Ela ainda pensa naquele moço...
Acorda de madrugada pra pensar
Acende um cigarro pra viajar
O dia chega e ela ainda nem pode amar.


Pensa só no seu quarto solitário
Olha as saias e vestidos do armário
Enquanto imagina ao moço seduzir
Ela só quer mesmo é ser feliz...


Ama alianças
Perfumes bons e danças
Gosta das flores e de sair
Mas ainda não decidiu como,



Pode ser 



Feliz...






Czar D’alma 




2011/08/18

D e s c o b r i m e n t o

                  "Descobrimento"      




                        





Se eu ao luar lhe der
Me amas.
Se ao sol, em suas mãos retiver
Me domas.


Se eu acordar e lhe trazer
O oceano ao nosso leito derreter
Pescar os momentos que se foram
E aos dias já, em seu rosto der prazer


Me amas...


Pois a minha alma vai
Como quem pede licença
Mas calada e sórdida cai
Em seus braços por clemência


Se eu trouxer a vida ao nosso lar
Tu me deitas a esperança em te amar
Por tudo que fomos e ao que deixamos
Vergar do perene e dele fazer em nós acordar


Sim, eu dou o que me custa
Pois todas as coisas me são suas
Quando me vislumbro não sou
Mas quando em ti, me assombro e dou


Como as águas do oceano
Me ensina a velejar
Em seus seios e vossos planos
Pra que o amor desça o Equador


E traga ao nosso berço outro cotidiano
Onde sou América e tu meu porto
Onde não sou índio pra ter medo
E tão pouco mito que naufraga cedo


Onde os rios mentem...
Quando dizem não querer o mar.


Apenas uma coisa perene de volta
E insisto em nunca deixar vosso amor
Abortivo descobrindo por quem apenas da vida
Quer lutar, vencer e apossar...


Isso nosso amor 



Será!







Czar D’alma 





Sem Despedida

            "Sem despedida"     




                





Ela saiu sem se despedir
Andou milha de alma trêmula
Quebrou paradigmas, foi à mercê


Ela andou duas mil milhas
Pra poder sorrir em paz
Quebrou o disco, rasgou livro
Daquele velho amor já não se faz


Ela chorou por milhas de dias
Cansou de contar gotas em vasilhas
Disse que, queria ser feliz e nadava
Em suas poucas e lindas fantasias


Ela nem se despediu pra poder chorar
Não aceitava que, aquela alma iria lhe deixar
Dormiu só, cantou um jazz, e jaz em seu mar
Quando em quando, acorda pra rezar...


Ela nem se despediu de todos
Se jogou do décimo andar
Hoje ela esta lá, parada no jardim
E com uma pedra que diz que habita lá


Onde os risos secam e os amigos
Vão chorar...



Ela morreu pra 




Alguém.







Czar D’alma 



Em Tempo Amor

           "Em tempo Amor"   




                




O tempo não me deu o ser
Ele aprendeu comigo a ter
Quando pode deixar ver
Nas ondas do invólucro beber


Ela disse que me amava
Comprei lua de romances
Sem caviar, mas com champanhe
Flores e promessas doravante


O tempo não me deu você
Aprendi a lhe conquistar
Sem ter a fama e nem poder
Mas as ondas me dão clichê


Dos beijos seus e do teu batom
Provar até do mundo me esquecer
Querendo a maresia da vida
E adormecendo berço de prazer


Onde os homens vestem adornos
E adornam vaidades com seus cachês
Eu dou a volta por cima, retorno à noite
E afirmo o lima da lâmina que o amor




Em seu tempo há de 



Nascer...






Czar D’alma 




Sem Me Querer

            "Sem Me Querer"   




               





Comer do tear do sono
Pra nebular seu rosto em sonho
Quando o sol desfazer o prazer
E a lua vier do bem sem fel tragar, trazer...


Eu sou você!


Coer a vida que há na lida
Pra poder amar os seus passos
Quando comigo e eu, estava sozinha
E o mundo não cobra mais alguma mentira.


Sou pra lhe ter!


Discurso vago é meu sentido
Quando o vento traz você
No meio do silêncio me contento
Abraço seus fios de cabelo em meu relento


Sou do que somos o querer...


Quando vais a meio à noite
Desespero do beco quaisquer foices
Corro atrás de seu mundo
Não desejo que seja como fostes




Sem me querer...







Czar D’alma