Seguidores

2009/04/08

A Lágrima.

Czar D'alma

A lágrima

O que direi...

Quando minhas lágrimas secarem?

Frente ao luar de dor!

E minha voz ecoar

Soando em tom de amor!

Dê-me suas lágrimas,

Meus olhos não enxergam mais!

E estarei livre e feliz

Quando quieto no quarto,

Sonhar com teu sorriso,

E você me deixar chorar!

O que lhe darei...

Se minha alma enfim agüentar?

O frio que dói

A canção que esmaga...

Mas não tenho mais lágrimas...

Te conto meus sonhos

Declaro minhas fábulas...

Mas com meu sofrimento

Vem e, por favor, acaba!

Ah! Eu daria tudo!

Por uma única lágrima...

Mesmo que fosse o fim

Mesmo se disseres que não me amava

Pelo menos eu teria uma lágrima!

Czar D'alma

A Dor

A Dor



A dor pálida
Que habita em meu ser
Não esconde nem finge
Nem mesmo em você.

Não é mentira eu sei
Seus olhos dizem sabem-se lá o quê!

A dor cálida, cálice.
Desta ceia que partilhas,
Nas praças outro disfarce
Na vida nem mesmo repartida!

A dor, a dor, a dor...
Nasceu pra ensinar o viver
Mas nessa escola escondida
Quem algum dia pôde não aprender?

As horas passam e passam por você!
Que chora, grita, pede ou sorri,
Mas quem da vida pôde desistir,
Quando o bloco ainda estava na avenida?

Eu vou sair fecho as portas
Abro a janela e canto pra ela
Não vejo teu rosto, conheço tua voz...
Que rasga os anos e deles faz, pedaços e pó!

Por pura e plena dor...





Czar D’alma