Seguidores

2012/01/07

Sons da Alma

            "Sons da alma"






                     




É dos sons das marés a força
Que o amor toma a posse de sua terra.


Quando escuto o teu silêncio
E a minha alma soluça
Comigo, comigo, comigo...


Eu deitei rios de lágrimas
Pra eternizar o teu sorriso
Fui à semelhança de tudo
O que era de mais preciso...


Dei com força o meu peito
Encarando um mundo seu
Mas em meio ao seu discurso
A minha alma comeu do breu.


Eu sei um dia virá
Enquanto isso a alma arderá
Soprando melodias que a dor compõe
E  somente a vida pode dá.


Eu degusto de minha solidão
E você de minha ausência
De quando em quando eu sou a saudade
Que só cabe na nossa paciência.


Saudades, saudades e um mar aberto
Abrindo o peito eu dou as mãos
Mas você ainda não esta por perto.
A dor que me acompanha sorri decerto.


Um dia virá e a noite já é
Eu olho pras estrelas e só sei clamar
O que a minha alma conhece de fé.


Mas eu ainda te amo com a minha alma
E o seu medo até quando deixará a vida escorrer...
De viver o que realmente o nosso amor 



quer.







Czar D’alma


Postar um comentário